br-linux

Artigos br-linux.org
Artigos sobre Linux em bom português, originais e com qualidade

Recompilando o Kernel 2.4.x ou 2.6.x
Publicado em 10 de fevereiro de 2004

Neste excelente artigo o Pedro Augusto de Oliveira Pereira (pogoslack@bol.com.br), nickname Pogo, explica detalhadamente como compilar o kernel 2.4.x ou o 2.6.x.

O mais interessante neste artigo é que ele detalhou opção por opção do "make menuconfig".

Se você tinha dúvidas do que marcar ou não nesta hora, este artigo pode ser muito útil.

Recompilando o Kernel 2.4.x ou 2.6.x

Por: Autor: Pedro Augusto de Oliveira Pereira - pogoslack@bol.com.br


O Kernel é a parte principal do sistema. É ele quem controla o hardware, memória, acessos a disco, etc... Um kernel bem configurado melhora muito o desempenho de qualquer computador. Em distribuições como Red Hat, Conectiva, etc, é compilado um Kernel "genérico" que funciona em todos os computadores. Com isso, uma grande quantidade de módulos é carregada, mesmo que não sejam necessários para o seu micro, desperdiçando assim memória, tornando o sistema instável e muitas vezes até deixando o boot mais lento pois o kernel ficará procurando por dispositivos que nem existem em seu computador!

Além de melhorar o desempenho, recompilando o Kernel você pode adicionar suporte a dispositivos que não são suportados por padrão e suporte a outros sistemas de arquivo.

Bom, mas agora chega de demora! Vamos à receita :-)

Esta receita vale tanto para um kernel 2.4 quanto para um 2.6.

Antes de tudo verifique se você tem as ferramentas de desenvolvimento instaladas em seu micro e também as fontes do kernel, pois sem elas você não vai conseguir fazer nada. Você pode pegar as fontes do Kernel em www.kernel.org (vem em .tar.gz ou em .tar.bz2) ou então entre em www.rpmfind.net e pegue o kernel em formato rpm se preferir.

Se pegou a tarball do kernel, mova o tarball para /usr/src e descompacte a tarball lá. Todos os passos seguintes devem ser realizados dentro de /usr/src/.

Digite make mrproper para limpar os restos de compilações anteriores.

Quando terminar, você vai ter 3 escolhas para fazer a mesma coisa. São elas:

make config: Pergunta sobre cada uma das configurações, como se fosse um questionário, do kernel no modo texto. Não recomendo essa opção pois demora demais e qualquer uma das próximas 2 opções são bem melhores e mais fáceis.

make menuconfig: Mostra um menu que facilita muito a navegação para selecionar as opções do kernel, é a opção certa para quem for recompilar/atualizar o kernel no modo texto.

make xconfig: Apresenta um menu em modo gráfico, mas logicamente só poderá ser executado se você estiver dentro do ambiente gráfico.

Todas as opções citadas acima tem o mesmo objetivo: permitir a você selecionar qual o hardware, os filesystems, dispositivos de som, entre outras coisas que serão suportados por seu novo kernel.

Os comandos usados aqui são:

< M > - Para habilitar o suporte a opção como um módulo.
< Y > - Para incluir a opção diretamente no kernel.
< N > - Para não incluir a opção nem como módulo nem diretamente no kernel.

Abaixo segue uma breve descrição das opções disponíveis pelo menuconfig:

_Code maturity level options:_

Prompt for development and/or incomplete code/drivers: Se você habilitar esta opção, você poderá usar drivers experimentais (aqueles que vem com a palavra EXPERIMENTAL escrita entre parenteses). Lembre- se que por estarem em fase de testes estes drivers podem falhar ou apresentar alguma instabilidade. Habilite isso por sua conta e risco.

_Loadable modules support:_

Enable loadable module support: Esta opção permite que você carregue os módulos com os comandos insmod e modprobe. Habilite ela, ou então você não poderá carregar os módulos para seu kernel.

Set version information on all modules symbols: Quando você recompila um kernel, geralmente tem que recompilar os módulos também. Se você habilitar esta opção, você vai poder utilizar os módulos que foram compilados para o outro kernel sem problemas. Se você habilitar esta opção não se esqueça que você deverá ter o pacote modutils instalado, ou então você terá problemas com seu kernel novo.

Kernel modules loader: Esta opção dá ao kernel a habilidade de carregar módulos automaticamente, sem a sua intervenção. Por exemplo, quando você tenta acessar um disco formatado com FAT 32 será necessário o carregamento do respectivo módulo a mão. Se você habilitar esta opção, o kernel faz isso por você.

_Processor type and features_

Processor family: Aqui você pode escolher o modelo do seu processador, isso otimiza o desempenho de seu kernel. Se quiser um kernel que possa ser executado em qualquer plataforma escolha '386'.

Machine check exception: Se você habilitar esta opção, seu processador será habilitado a notificar o kernel sobre qualquer problema que ele encontre (como uma falha em algum componente, por exemplo). A ação tomada pelo kernel depende da severidade do problema. Essa ação pode variar de uma mensagem no console até ao desligamento da máquina. Você pode selecionar essa opção seguramente mesmo que seu equipamento não a suporte.

CPU frequency scaling: Essa opção permite a você mudar o clock do CPU mesmo com o computador ligado. Essa opção é interessante em notebooks, pois quanto menor o clock menos bateria será consumida. Note que isso não acontece automaticamente, você tem que usar alguma ferramenta para usuários (o único problema é que elas ainda não foram escritas =/). É seguro desabilitar esta opção.

Toshiba laptop support: Esta opção permite um gerenciamento seguro para laptops Toshiba com o BIOS da Toshiba, ela não funciona com o Phoenix BIOS. Se não for utilizar um laptop Toshiba não tem porque selecionar esta opção.

Dell laptop support: Mesmas utilidades que o anterior mas esta serve para laptops da Dell (Inspiron e Latitude). Esta adiciona algumas opções a mais para esses laptops.

/dev/cpu/microcode - Intel IA-32 CPU Microcode support: Se você habilitar esta opção, você será capaz de atualizar o microcódigo de processadores Intel IA-32 (Pentium, Pentium Pro, Pentium II, Pentium III, Pentium IV, Xeon, etc). Pra isso você tem que habilitar a opção "/dev filesystem support" na seção 'File systems section'. Além disso você vai precisar dos binários do microcódigo, que não vêm junto com o kernel.

/dev/cpu/*/msr - Model specific register support: Esta opção da acesso a processos privilegiados aos registros específicos de modelos x86 (MSR' s). Em ambientes multiprocessados, acessos MSR são direcionados a um processador específico.

/dev/cpu/*/cpuid - CPU information supprt: Este dispositivo dá aos processos acesso à instrução CPUID de processadores x86. Assim você pode identificar qual processador está instalado na máquina, sem ter que abrí- la.
High memory support: Embora sistemas GNU/Linux suportem até 64GB de memória RAM, o padrão para processadores x86 é 4GB (esse limite também vai depender do chipset da sua máquina), portanto se você tem um processador x86 deixe a opção padrão mesmo.

HIGHMEM I/O support: Se você quer ser capaz de fazer operações de I/O na memória alta do sistema, habilite essa opção pois ela melhora o desempenho da máquina.

Math emulation: Esta opção faz o Linux emular um co-processador matemático em computadores que tem um processador anterior ao 486SX, pois nestes o co-processador matemático era vendido separadamente,e muitas vezes, os computadores acabavam ficando sem esse co-processador. Portanto esta opção só é necessária se você tiver um processador anterior a um 486SX.

MTRR (Memory Type Range Register): Na família de processadores Intel posteriores ao Pentium Pro o MTRR pode ser usado para controlar o acesso do processador á memória do sistema, ela é mais útil se você possuir uma placa de vídeo AGP ou PCI. Ela deixa operações de escrita 2,5 vezes mais rápida. Por isso é indicado a seleção dessa opção.

Symmetric multiprocessing supprt: Esta opção habilita o suporte a sistemas multiprocessados. Se você não usa um computador multiprocessado pode desabilitar essa opção.

Local APIC support on uniprocessors: Um APIC (Advanced Programmable Interrupt Controller) é um controlador de interrupções integrado no processador. Se seu processador suporta APIC habilite essa opção. Se você não tem certeza se seu processador suporta APIC, pode habilitar do mesmo jeito. Esta opção não causa prejuízo em sistemas que não a suportam.

Unsynced TSC support: Essa opção é mais utilizada em laptops e pode causar problemas em alguns computadores, a melhor opção é desabilitá- la se não estiver usando um laptop.

_General Setup_

Networking support: Ativa o suporte a rede.

PCI support: Ativa o suporte ao barramento PCI.

PCI access mode: Em algumas placas-mãe o BIOS é usado para detectar os dispositivos PCI. Porém, algumas delas possuem bugs. Com essa opção você pode fazer com que o kernel detecte dispositivos sem usar a BIOS (opção "direct"), pode forçá- lo a sempre usar a BIOS para isso (opção "BIOS") ou então usar a opção "any" onde o kernel tenta detectar os dispositivos sem usar a BIOS mas, se esse processo falhar, usa a BIOS para detectar os dispositivos. Uma boa idéia é deixar em "any".

ISA Bus support: Suporte ao barramento ISA.

PCI device name database: Por padrão, o kernel possui um banco de dados com todos os nomes de dispositivos PCI para colocá- los no arquivo /proc/pci, /proc/ioports e alguns outros arquivos que são compreensíveis aos usuários. Isto aumenta o tamanho do kernel por volta de 80Kb, mas esse espaço é desocupado depois que o processo de boot está completo por isso não faz muita diferença. Mas se para você o tamanho do kernel realmente importa, pode desabilitar esta opção.

EISA support: Suporte ao barramento EISA.

MCA support: Suporte ao barramento MCA.

Support for hot-pluggable devices: Habilite esta opção caso você queira usar dispositivos hot plug (como cartões PCMCIA ou dispositivos USB). Habilite o hotplug e o kmod, e pegue um software que monitore estes slots (entre em linux-hotplug.sourceforge.net) e instale esse software. Com isso, seu kernel vai automaticamente identificar e carregar os drivers para seus dispositivos hotplug enquanto você os pluga :-)

System V IPC: IPC (Inter Process Communication), é um conjunto de bibliotecas que faz com que processos (programas sendo executados) sincronizem- se e troquem informações entre si. É uma boa idéia habilitar esta opção, até porque alguns programas não vão funcionar se você não a habilitar. Um desses programas é o emulador DOS (o dosemu).

BSD process accounting: Isto habilita um programa a instruir o kernel, através de uma chamada de sistema especial, a escrever informações detalhadas sobre esse processo, como: hora de criação, dono, o comando que gerou aquele processo, memória consumida, terminal que o controla, etc. Dá pra fazer coisas bem úteis com essas informações, por isso é uma boa idéia habilitá- la.

Sysctl support: Isso te dá a habilidade de mudar opções e variáveis do kernel dinamicamente, sem a necessidade de recompilar o kernel ou reiniciar o sistema. Se você marcar em "/proc file system support", uma árvore de entradas modificáveis do sysctl será gerada no diretório /proc/sys. Você encontra mais informações sobre isso na documentação do kernel. Essa opção aumenta o tamanho do kernel em no mínimo 8Kb.

Kernel core (/proc/kcore) format: Se você habilitou o suporte ao sistema de arquivo /proc, então o arquivo /proc/kcore vai conter o "core" do seu kernel. Uma das utilidades é usá- lo com o gdb (GNU debugger). É mais útil para programadores. Se você não é um, simplesmente deixe na opção padrão (ELF).

Kernel support for a.out binaries: a.out (Assembler.OUTput), é um conjunto de bibliotecas usados em versões antigas do UNIX. No Linux, ela foi substituída pelo formato ELF. Porém não é uma boa idéia retirar esta opção ou colocá-la como módulo (portanto coloque- a como embutida no kernel com a opção ) pois muitos programas extremamente importantes no seu sistema ainda estão no formato a.out.

Kernel support for ELF binaries: Este é um conjunto de bibliotecas extremamente importante no sistema, não é nada recomendável deixá- lo de fora do kernel pois programas importantes utilizam a ELF. Esta opção só ocupa 13Kb, portanto diga sem pensar =]

Kernel support for MISC binaries: Essa opção é mais útil para programas que necessitam de um interpretador para poderem ser executados como Java, Pytn, Emacs-Lisp e também para o DOSemu, entre outras coisas interessantes (leia a documentação do kernel para aprender a usar esta opção). Lembrando que para poder usar esta opção do kernel você tem que ter habilitado a opção "/proc file system support". Você pode compilar esta opção como um módulo e carregá- la só quando você tiver algum uso para ela. Mas se você não sabe o que responder, responda .

Power management support: Habilita o suporte ao gerenciamento de energia. Com isso algumas partes do computador que estão sem uso, são colocadas para "dormir" economizando energia (ou bateria). Você tem dois modos: APM ou ACPI. Estes podem ser escolhidos depois que você habilitar o suporte a essa opção.

Memory Technology Device (MTD) support: Esta opção é bem específica e por padrão vem desabilitada. Se você acha que esta opção não vai lhe fazer falta, ou se não sabe o que fazer deixe- a desabilitada.

_Parallel Port support_

Parallel port support: Habilita o suporte a porta paralela do micro.

PC-style hardware: Se você estiver usando um micro padrão PC habilite esta opção. Se não souber simplesmente responda .

Multi-IO cards (parallel and serial): Esta opção habilita o suporte a placas PCI que possuem portas paralelas ou seriais extras. É insteressante que você inclua o suporte no kernel ou deixe como módulo esta opção.

Use FIFO/DMA if available: Muitos chipsets tem recursos que melhoram o desempenho da impressão. Se você quer usar estes recursos marque um aqui.

SuperIO chipset support: Isto vai habilitar o suporte ao SuperIO de chipsets o que facilita o para se descobrir endereços de IO, IRQ e DMA. É seguro desabilitar esta opção.

Support foreign hardware: Suporte para portas paralelas não padronizadas. Se não tem nenhuma dessas portas em seu computador, é seguro marcar pois essa opção causa perda de desempenho.

IEEE 1284 transfer modes: Suporta os "tipos" de tranferência EPP e ECP. Se sua impressora não faz uso destes modos de tranferência, pode desabilitar essa opção.

_Plug and Play configuration_

Plug and Play support: Habilite esta opção se você quer que o Linux configure automaticamente os seus dispositivos Plug and Play.

ISA Plug and Play support: Suporte a algumas placas ISA que tem o recurso Plug and Play.

_Block devices_

Algumas opções nesta seção são drivers para placas específicas e não serão descritas. Portanto, todas as opções que não estiverem descritas aqui são drivers e só devem ser incluídos caso se tenha uma placa do modelo especificado no tópico.

Normal floppy disk support: Suporte a unidades de disquetes.

Parallel port IDE device support: Suporte a alguns dispositivos externos como CD-ROMs e Hds que são conectados na porta paralela do seu computador. Se não possuir hardware desse tipo, pode desabilitar esta opção.

Loopback device support: Essa opção vai deixar você usar um arquivo como se fosse um dispositivo de bloco, como uma HD. É uma opção útil se você quer fazer arquivos de memória SWAP ao invés de usar uma partição para isso (embora uma partição SWAP tenha um desenpenho melhor). Para mais informações sobre esse assunto, leia o guia Foca GNU/Linux.

Network block device support: Se você habilitar esta opção, será capaz de montar sistemas de arquivos disponibilizados em servidores de sua rede. Isso não tem nada a ver com NFS ou Coda. Você pode desabilitar esta opção mesmo que queira usar NFS.

RAM disk support: Isto permite a você usar uma porção de sua memória RAM como um dispositivo de bloco. Assim, você pode fazer sistemas de arquivos nela, ler e escrever nela como se fosse uma HD normal. Muitos usuários não necessitam dessa opção, portanto podem marcar seguramente aqui.

Default RAM disk size: É o tamanho padrão do RAM disk. Só mude esta opção se você realmente souber o que está fazendo.

Initial RAM disk (initrd) support: É um RAM disk montado pelo bootloader e que é montado como root antes do processo normal de boot. É geralmente usado para carregar módulos necessários para montar o root de "verdade".

Per partition statistics in /proc/partition: Se habilitada, faz com que o kernel mantenha estatísticas de cada partição. Essas informações incluem coisas como números de acessos de leitura e escrita, etc... Pode ser desabilitada seguramente.

_Multi device support (RAID e LVM)_

Multiple devices driver support (RAID and LVM): Opção necessária para quem for utilizar os sistemas RAID ou LVM.

_Cryptography support (CryptoAPI)_

CryptoAPI support: Suporte a criptografia.

_Networking options_

Nesta seção se define a quais protocolos o kernel terá suporte. Todas as opções existentes são autoexplicativas e por isso não comentarei uma por uma aqui. Mas dou um conselho: só mexa aqui se você realmente souber o que está fazendo pois, se fizer algo errado, poderá ficar sem suporte a coisas importantes.

_Telephony support_

Linux telephony support: Serve para habilitar o suporte a aplicações voz-sobre-IP. Isso não tem nada a ver com modems: você não precisa habilitar esta opção para poder usar o seu modem.

_ATA/IDE/MFM/RLL support_

ATA/IDE/MFM/RLL support: Não deixe de marcar esta opção caso você use dispositivos com interfaces IDE/ATAPI. Se não a marcar não conseguirá usar estes tipos de dispositivos. Só desmarque esta opção se seu sistema só utilizar unidades SCSI.

As opções disponíveis aqui são autoexplicativas e não comentarei uma por uma. Tome cuidado enquanto de/seleciona opções aqui: muitas delas são chipsets e se você não marcar o suporte ao seu chipset terá sérios problemas :-)

_SCSI support_

Mesmo que você não tenha dispositivos SCSCI no seu micro, deixe esta seção como está (claro que você pode fazer uma seleção mais detalhada do que entra ou sai) pois caso você tenha um gravador (mesmo que seja IDE) será necessário emulá- lo como SCSI para que ele funcione. Portanto tenha cautela.

_Fusion MPT device support_

Fusion MPT (base + SCSI host) drivers: Esta opção melhora o desempenho do barramento SCSI, porém para que se tenha alguma vantagem ao adicionar esta opção ao kernel você deverá ter um adaptador compatível com Fusion MPT PCI instalado no micro. Se você não tem nem idéia do que eu estou falando, pode marcar aqui.

Enhanced SCSI error reporting: É opcional. Ela simplesmente te dá informações adicionais (em Inglês) caso ocorra algum erro com o barramento SCSI. Esta opção só pode ser um módulo.

Fusion MPT misc device (ioctl) driver: Fornece controle especializado de controladores MPT através de chamadas do sistema ioctl. Para isso, você deve criar um device node:
mkdnod /dev/mptctl c 10 240. Se você não sabe se precisa disso, pode dizer .

Fusion MPT LAN driver: Pode dizer aqui.

_IEEE 1394 FireWire support_

IEEE 1394 FireWire support: Habilita o suporte a portas FireWire. Se não possuir portas desse tipo em seu micro, pode dar aqui.

_I2O device support_

I2O support: I2O (Intelligent Input/Output) é uma arquitetura que permite que drivers de hardware sejam divididos em 2 partes: um módulo específico para o SO chamado OSM, e um módulo específico para o hardware chamado HDM. Para isso acontecer você precisa de uma placa I2O instalada no seu computador. Essa placa contém um processador especializado em I/O. Isso faz com que o desempenho geral do micro aumente já que o CPU principal não vai precisar lidar com endereços de IO. Se não possui uma placa dessas pode marcar aqui.

I2O PCI support: Se você tiver uma placa I2O no micro, deverá habilitar isso para que ela funcione.

I2O Block OSM: Necessário para criar o módulo OSM.

I2O LAN OSM: Inclui suporte a OSM específico para placas de rede I2O. Você deve habilitar o suporte a redes token ring ou FDDI para que este tipo de placa funcione.

I2O SCSI OSM: Permite acesso direto de dispositivos SCSI a dispositivos SCSI em placas controladoras I2O.

I2O /proc support: Se você marcar aqui e em "/proc support" você será capaz de ler informações relacionadas a I2O no diretório /proc/i2o.

_Network device support_

Nesse menu você vai poder configurar que placas terão suporte no seu novo kernel, entre outras coisas. Você pode desmarcar todas as placas que não estejam no seu micro. O único inconveniente disso é que se você precisar colocar uma placa diferente no seu kernel, você terá que recompilá- lo para que ela funcione. Preste atenção ao adicionar ou excluir opções, pois algumas coisas aqui não são placas.

_Amateur Radio Support_

Amateur Radio Support: O Linux oferece a possibilidade de se fazer uma rede via rádio amador. Se você não vai fazer esse tipo de rede, pode desmarcar esta opção.

_IrDA (infrared) support_

IrDA subsystem suport: Suporte a dispositivos infravermelhos. Se não possui um dispositivo desses, pode desabilitar este suporte.

_ISDN subsystem_

ISDN support: Ativa o suporte a ISDN.

_Input core support_

Input core support: Habilite esta opção caso você queira suporte a dispositivos USB como teclados, mouse, joysticks, etc. Lembre- se que esta opção se refere a dispositivos USB. Se não possui nenhum desse pode desabilitar essa opção.

_Character devices_
Não recomendo que você mexa nessas opções. Abaixo eu descrevo algumas opções sobre as quais você pode pensar sobre incluir ou excluir.

Support more than 4 serial ports: Se você não tem mais que 4 portas seriais pode desmarcar esta opção.

Non-standard serial port support: Se seu micro tem placas com portas seriais não padrão (que não são suportadas pelo driver "dumb") deixe esta opção habilitada e selecione sua placa. Caso contrário pode desabilitá- la.

Gericom/Advent laptop batery support: Pode desmarcar se você não usa um laptop.

_Multimedia devices_

Video for Linux: Suporte para captura de audio/video e placas com suporte a radio FM.

_File systems_

Neste item, você poderá selecionar quais sistemas de arquivos (FAT, NTFS, EXT2/3, ReiserFS...) seu kernel suportará. Selecione com atenção quais sistemas serão suportados, pois você pode acabar ficando sem acesso a sua partição Windows, por exemplo, porque não selecionou o suporte a VFAT.

_Console drivers_

VGA text console: Habilita o uso do modo texto do Linux com qualquer placa que siga o padrão VGA. Deixe isto habilitado.

Video mode selection support: Permite que você selecione a resolução a ser usada no modo texto na hora do boot.

MDA text console (dual-headed): Só selecione isto caso você tenha uma placa de vídeo Hercules bem antiga como uma segunda placa de vídeo. Selecionando isto, você poderá usar dois monitores. Se não tem certeza diga .

_Sound_

Aqui não recomendo que mexa muito, pois tem opções aqui que são necessárias para que qualquer placa de som funcione. Mexa por sua conta e risco =]

_USB support_

Ativa o suporte a USB. Se você tem portas USB no seu micro mas não quer usá- las, pode tirar o suporte a USB aqui. Mas não se esqueça de desabilitar essas portas no setup do micro, ou então você verá vários erros durante o boot.

_Additional device driver support_

Aqui você encontra drivers para algumas placas bem específicas. Caso você não possua nenhuma delas pode desabilitar o suporte a elas aqui.

_Bluetooth support_

Aqui você pode adicionar suporte a redes Bluetooth. Se não faz parte de uma rede desse tipo pode deabilitar o suporte a ela aqui sem problemas.

Nas três opções seguintes (Profiling support, Kernel hacking, Library routines), não recomendo que mexa pois são coisas específicas para programadores e desenvolvedores e por isso não há muita necessidade de modificação nessas opções.

Depois de selecionar tudo direitinho no menuconfig, saia (selecione Exit) e quando for questionado sobre se quer salvar, responda sim. Quando sair do menuconfig, voltará para o prompt do bash. O comando seguinte vai depender de qual versão do kernel você está compilando: se for 2.4 digite "make dep"; mas se for um kernel da versão 2.6 você terá que digitar apenas "make".

Quando o "make dep" ou o "make" terminar, você terá que gerar a imagem do kernel (o comando é o mesmo tanto em kernel 2.4 quanto em 2.6): "make bzImage". Note que o i em bzImage é maiúsculo.

Após gerar a imagem do kernel, digite os comandos (nessa ordem; não importa a versão do kernel): make modules, make modules_install

Quando terminar o último comando, procure um arquivo chamado bzImage que foi criado na pasta arch/i386/boot pelo comando "make bzImage". Mova esse arquivo para a pasta /boot. Depois vá para a pasta /boot e renomeie o arquivo bzImage para vmlinuz-< versao do kernel > . Tome cuidado para não sobrescrever a imagem atual do kernel, pois se seu kernel novo não funcionar você ainda poderá dar boot no sistema e tentar de novo. Portanto, antes de renomear o arquivo bzImage repare no nome do vmlinuz atual. Um exemplo: no Red Hat 9, o vmlinuz é "vmlinuz-2.4.20-8", portanto eu renomeio meu arquivo bzImage com um nome diferente deste: vmlinuz-2.4-custom. Repare que se escreve linuz e não linux.

Depois disso, inclua a opção de dar boot pelo seu kernel novo no seu gerenciador de boot. Isso vai depender de qual você usa, e foge do escopo desse tutorial. Se precisar de ajuda nisso, pergunte em algum fórum.

Bom, é isso! Se tudo deu certo parabéns! Se não, tente de novo. É só fazendo que se aprende.

Qualquer dúvida, me mande um e-mail pogoslack@bol.com.br.

Autor: Pedro Augusto de Oliveira Pereira
Cidade: Caçapava, SP
Mail: pogoslack@bol.com.br
Nickname: Pogo

Postado por fuji em fevereiro 10, 2004 01:27 AM

Comentários para "Recompilando o Kernel 2.4.x ou 2.6.x"

» Postado por: adinoel em fevereiro 13, 2004 05:03 PM, 161.148.116:

    Isto é bom.

 

» Postado por: Marco Carvalho em fevereiro 18, 2004 08:47 AM, 200.241.169:

    Fantástico, há tempos procurava algo assim esmiuçado sobre as opções do kernel.
    Valeu, Pedro

 

» Postado por: Marcelo Pereira em fevereiro 21, 2004 09:27 AM, 200.158.132:

    Estranho.. compilei o kernel fiz tudo direitinho
    só que ele dá algo errado..

    estou usando um slackware 9 kernel 2.4.20

    quando eu carrego o novo kernel aparece

    Loading Linux.................
    e depois não aparece mais nada, até terminar de carregar tudo.. depois aparece o X no meu ambiente gráfico e o mouse não funciona...

    Alguem tem idéia do porque ?

 

» Postado por: William da Rocha em fevereiro 22, 2004 04:22 AM, 200.153.192:

    Caro Marcelo Pereira

    Isso deve ocorrer devido ao frame buffer, alter no lilo.conf para carregar o padrão.

    falou,

 

» Postado por: Daniel Semblano em fevereiro 22, 2004 01:19 PM, 200.103.130:

    Caro Marcelo Pereira, ative o frame buffer no kernel, assim (no kernel 2.6):
    Device Drivers --->
    Graphics support --->
    [*] Support for frame buffer devices

 

» Postado por: Fabio em fevereiro 23, 2004 05:08 AM, 200.186.145:

    Eu compilei o kernel 2.4 para rodar no CL8 e não concegui faver funcionar o supermount...

    Alguém aí sabe o que deve ser habilitado no make menuconfig para funcionar?

 

» Postado por: Jose Manuel Valente em fevereiro 24, 2004 02:09 PM, 200.182.159:

    Achei esse artigo bem útil para aqueles que estão começando a compilar o kernel agora. Quando começei, há alguns anos, esse tipo de informação era mais dificil de ser encontrada. Venho acompanhando vários tutorias que explicam como compilar o 2.6, e em todos eles acho que faltou explicar uma coisa sobre a compilação. Para se compilar o kernel 2.6.x, o passo "make dep" se tornou desnecessário, e o passo "make modules" também, uma vez que agora, os módulos já são compilados quando o kernel em si está sendo compilado.
    Outra coisa que não vejo tão bem clarificada é a necessidade da instalação do pacote module-init-tools, para que os módulos sejam carregados corretamente na inicialização de um kernel 2.6.x. Este pacote passou a ser distribuido pelos fornecedores de linux pois o gerenciamento de módulos foi completamente reescrito. (e pra quem usa ramdisk, os pacotes para uso/geração do mesmo também tem que ser atualizados).
    Estou mandando essa pequena contribuição pois já recebei várias reclamações por parte de amigos que não sabiam de todas essas informações e tiveram problemas.
    Espero ter colaborado.
    Um grande abraço a todos,

 

» Postado por: André em fevereiro 25, 2004 01:35 AM, 200.216.7.9:

    Parabéns, ha tempos venho procurando algo parecido... Com certeza ajudará bastante na próxima recompilação!

    Abraço

 

» Postado por: Adriano Bonat em fevereiro 25, 2004 12:27 PM, 200.102.89.:

    Muito util este texto, notei apenas um detalhe na parte de SCSI support. Na serie 2.6 do kernel nao eh mais necessario emular uma gravadora IDE como SCSI, inclusive aquele parametro na inicializacao do kernel dizendo para tal dispositivo usar ide-scsi foi para o espaco :)

    Ateh!

 

» Postado por: Brazuka em março 11, 2004 02:01 PM, 194.65.14.7:

    Bacano, epa, tas a ver, tens mesmo muita paciencia, a serio pa, isto vem do fundo do corazon partio! fica peixe GANDA MALUK!

 

» Postado por: Thiago em abril 8, 2004 02:15 AM, 200.152.19.:

    Poderia explicar melhor a etapa de extração do arquivo pelo www.kernel.org ...
    sou iniciante
    obrigado.

 

» Postado por: Deiverson em abril 25, 2004 12:15 AM, 200.150.46.:

    Ola, tive o seguinte problema, ele não manteu meus modulos, tipo iptables etc etc, eu adicionei eles, e fiz tudo passo a passo, mas quando dou lsmod não tem nada la, nem modulo de som nem nada, ai tenho que voltar para o kernel 2.4.20

    Alguem help-me por favor

 

» Postado por: play blackjack em agosto 16, 2004 10:10 PM, 64.222.230.:

 

» Postado por: free credit reports em agosto 31, 2004 01:48 PM, 211.250.81.:

 

» Postado por: texas holdem em setembro 2, 2004 10:23 PM, 202.88.149.:

    8551 Learn all about the best texas holdem here

 

» Postado por: high risk merchant accounts em setembro 3, 2004 06:44 AM, 200.35.83.2:

    1613 Learn all about the best merchant account here

 

» Postado por: texas hold em em setembro 3, 2004 02:23 PM, 203.198.185:

    6026 talk about wiii is good texas hold em online playa

 

» Postado por: internet credit card processing em setembro 4, 2004 05:56 AM, 66.178.7.6:

    8286 High risk credit card processing is fr

 

» Postado por: ink cartridges em setembro 5, 2004 10:38 PM, 66.168.196.:

    4855 Thanks so much for all the help to buy ink cartridges

 

» Postado por: slots em setembro 7, 2004 01:55 PM, 66.91.47.10:

 

» Postado por: merchant account em setembro 8, 2004 01:57 AM, 65.16.53.3:

    2269 High riskmerchant account thanks

 

» Postado por: internet merchant account em setembro 9, 2004 06:45 AM, 205.218.254:

    3214 get high riskinternet merchant accounts account

 

» Postado por: Briana Banks em setembro 9, 2004 10:05 PM, 66.26.44.99:

 

» Postado por: THB_MATRIX em novembro 3, 2004 10:53 PM, 200.102.27.:

    Deiverson,
    Já tive tal problema uma vez...
    Eu havia atualizado o modutils, tente usar lsmod.old ao invés de lsmod que talvez tu consigas ver os módulos.
    Para testar se está funcionando, crie alguma regra do iptables ou tente dar um modprobe/modprobe.old nos módulos, que talvez não estejam sendo carregados.
    :D

 

Antes de comentar...

- Preserve a qualidade desta discussão
- Leia os Termos de Uso.
- Este formulário deve ser usado para comentários sobre a notícia. Se você tem dúvidas ou precisa de ajuda, use o Fórum.
- Mantenha o foco nos argumentos e no assunto
- Não faça ataques pessoais.
- Pense 5 vezes antes de entrar em discussões inúteis, como "qual é a melhor distribuição/ambiente gráfico/linguagem de programação/etc.", mesmo se alguém já tiver provocado - um erro não justifica o outro
- Não seja um e-mala ;-)

Envie seu comentário









Lembrar as informações pessoais?


Atenção: Este formulário deve ser usado para comentários sobre a notícia. Se você tem dúvidas ou precisa de ajuda, use o Fórum, onde mais pessoas estarão disponíveis para respondê-lo..






Nota: os comentários pertencem a seus respectivos autores e são de responsabilidade de quem os postou. O restante desta nota está disponível sob a licença GNU FDL, exceto se explicitamente declarado em contrário.