Visite também: UnderLinux ·  VivaOLinux ·  LinuxSecurity ·  Dicas-L ·  NoticiasLinux ·  SoftwareLivre.org ·  [mais] ·  Efetividade ·  Linux in Brazil ·  Floripa  

Veja os detalhes sobre o SUSE Linux 10.1 que será lançado na próxima quinta-feira

Veja os detalhes divulgados em primeira mão por Marcio Henrique Ferreira (marcioΘlac.usp.br), fundador do grupo de usuários SUSE-BR e participante ativo da comunidade internacional do SUSE Linux.


Está agendado para a próxima quinta, dia 11 de maio, o lançamento da nova versão do SUSE Linux, a aguardada versão 10.1. Após um ciclo de desenvolvimento mais longo que o usual, o SUSE Linux 10.1 foi lançado. Houveram vários atrasos devido à incorporação do novo sistema de gerenciamento de pacotes, para garantir que a sua integração fosse o menos traumática possível. O tempo de manutenção também será o usual, de 2 anos, segundo a Novell.

Exceto pela mudança no gerenciamento de pacotes e patches, o release 10.1 é um lançamento com poucas novidades e mudanças, quase um release de manutenção. As mudanças ocorridas aparentemente se justificam devido ao fato que esta nova versão será a base de código das versões enterprise da Novell, que estão próximas de serem lançadas também: o SLES (SUSE Linux Enterprise Server) e o SLED (SUSE Linux Enterprise Desktop), e como o tempo entre release das versões corporativas é maior, a Novell ficaria muito tempo suportando programas ou sistemas antigos.

Os destaques são:
- kernel 2.6.16
- a inclusão do Xgl com o eyecandy que foi o burburinho maior alguns meses atrás
- a introdução de um novo backend de gerenciamento de pacotes (baseado no YOU/libzypp) e entrega de patches, que será baseado no sistema Zen, que já era utilizado pela Novell nos produtos enterprise.
- primeiro release do SUSE com o sistema AppArmor (um sistema de segurança multi-ferramentas que evita que um aplicativo que tem um determinado perfil de uso tente fazer ações que ele não deveria realizar normalmente, o que é muito útil para ataques zero-day) totalmente GPL e ativado por default
- uso do networkmanager, que deve facilitar o gerenciamento de conexões wired e wireless (existe uma versão do applet para o kde, knetworkmanager);
- aos fãs do beagle e do kde: com as mudanças estruturais no beagle (para diminuir sua dependência do gnome), agora temos também um frontend para o kde chamado Kerry, juntamente com o kio-slave beagle (permite que você digite no konqueror beagle://)
- A mudança no layout das mídias permite a instalação default com kde ou gnome com apenas os cds 1,2 e 3.
- Existe um sexto cd (CD6) que inclui programas não opensource, tais como o acroread, realplayer, etc).
- Do front dos desktops: kde 3.5.1, gnome 2.12 (não, não tem o 2.14), OOo 2.0.2, Firefox 1.5, evolution 2.6
- Do front dos servidores: apache 2.2, myqsl 5.0, php5.1, java 1.5, postgre 8.1.3
- O pacote kernel-*-nongpl foi retirado, por conter módulos de kernel non-free. Um novo sistema para facilitar a construção e manutenção de módulos inseridos pelo próprio usuário ou terceiros para o SUSE foi desenvolvido e se chama KMP (Kernel Module Packages)

Lembrando que apesar do nome do projeto que auxilia o desenvolvimento ser Opensuse, a distribuição é chamada "SUSE Linux 10.1", e não opensuse 10.1 ou OSS 10.1, etc etc.

Para maiores informações, consultem:
- http://novell.com
- http://en.opensuse.org/Product_Highlights


Comentários dos leitores

Os comentários abaixo são responsabilidade de seus autores e não são revisados ou aprovados pelo BR-Linux. Consulte os Termos de uso para informações adicionais. Esta notícia foi arquivada, não será possível incluir novos comentários.
Comentário de Dm7
Utilizo o Suse desde o: Utilizo o Suse desde o lançamento da versão 10, foi a que melhor me adaptei em todos os tempos ;).
Sobre os pacotes non-free... quer dizer que pra rodar DVD protegido, as bibliotecas tem que ser procuradas à parte? E uma atualização do 10 para o 10.1, é recomendável até que ponto?
Abs,
Comentário de escovadordebit
10.1 rc2: Testei a 10.1 Rc2 por uns dias e senti falta justamente da integração destes pacotes para multimídia na distro.

Claro que você pode instala-los manualmente depois, mas eu preferiria que ja viessem validados na versão final.

Linux user #226380
"Linux é amigável... Ele apenas sabe escolher os amigos."
Comentário de cppware
Boa Seleção: O Suse possui uma boa seleção de pacotes, por exemplo, é a única distribuição que já testei (e que não é o Debian) que possui o Lilypond e o Noteedit. Na minha opinião, ele possui exatamente os pacotes necessários para um usuário como eu, que necessitam fazer diversas coisas no computador, desde frango assado até vitamina de tamarindo.
Foi através do Suse que eu conheci o TeXmacs. E hoje estou viciado. Acho até que vou mudar meu nick para algo que contenha TeX...

=====================================
Pesquisadores do SUW (Sanatório de Usuários do Windows) confirmam:
||A Tela Azul pode mesmo causar morte!||
Comentário de Icoslau
Sim, as bibliotecas devem: Sim, as bibliotecas devem ser instaladas a parte, não são inclusas na distribuição pelas questões de direitos autorais, patrimoniais, egocentricas e todas aquelas burrocracias que atrapalham a vida alheia.

Porém, configurando o SuSE, através do YaST (no 10.1 será um pouco diferente pelo que foi dito) com repositórios que forneçam as bibliotecas, todo o procedimento é transparente ao usuário, sem maiores dificuldades, a não ser claro a famigerada libdvdcss, que cá venhamos, não é proibida no Brasil.

Em máquinas de produção, continuarei com o SuSE Linux 10.0, claro que vou arrumar uma para testar o 10.1, mas de início, prefiro seguir a regra "time que está ganhando não se mexe".

Abs
Comunidade SuSE Brasil
Comentário de Antoine
Por que não KDE 3.5.2 e: Por que não KDE 3.5.2 e Gnome 2.14.1? Faz tempão que estou esperando sair o SUSE 10.1 para deletar o Windows do PC definitivamente! Mas como vai demorar um pouco ainda, acho que vou usar o FC5 mesmo para essa tarefa...
Comentário de Dm7
famigerada libdvdcss: Que no Kurumin vem prontinha pra instalar (ou vinha?)

Comentário de Icoslau
Só não vamos começar a: Só não vamos começar a comparar Strudel com Feijoada, me parece que isso é um tanto quanto absurdo.

O SuSE como distribuição alemã, segue as leis daquele país, no qual a utilização da libdvdcss é proibida. Kurumin é uma distribuição brasileira, tal qual, seguindo a legislação de nosso país, no qual não há impedimentos ao uso da mesma.

Nada que o download e instalação da biblioteca em questão não venha a resolver a questão.

Abs
Comunidade SuSE Brasil
Comentário de xultz
É possível usar os: É possível usar os recursos do Xgl no KDE ou somente no Gnome?
Comentário de Icoslau
Com as devidas: Com as devidas configurações, apesar de ser recomendado o uso do Gnome, pode ser usado no KDE.

Leia mais em:
OpenSuSE.org - Using Xgl on SUSE Linux

Comunidade SuSE Brasil
Comentário de spook
?: Quais configurações? Onde é recomendado o Gnome?
Comentário de Ludi
24/7 e multimídia: Até aqui você dá plantão Icoslau. :-)
Ah se você ganhasse por cada pergunta respondida hehe.
Quando essa questão dos pacotes multimídias, eu tive uma idéia, mas acho que ela é muito trabalhosa; criar um pacote dummy (ex. suse-multimedia) que já possuísse todas as dependências necessárias para habilitar MP3, DVD criptografado, WMV etc etc no SUSE.
Bastaria adicionar os repositórios extras X e Y que possuem os pacotes. O problema é que eles mudam de versão muito rapidamente, o que exigiria que a RPM fosse atualizada a cada alteração... Ou seja, um pelo pé...
Por esse mesmo motivo a criação de um script fica mais difícil (pelo menos pra mim, que sei quase nada de bash)...
Comentário de Dm7
Bom, eu salvei esses: Bom, eu salvei esses benditos pacotes num CD, assim em caso de emergência serve pra quebrar o galho.
Comentário de Ludi
Quem conhece o sistema não: Quem conhece o sistema não tem problema, agora quem não conhece sempre fica na dúvida.
Essa é uma das perguntas mais freqüentes no fórum.

Comentário de thebluesgnr
O compiz usa o GConf para: O compiz usa o GConf para configurações, e o decorador de janelas também usa bibliotecas do GNOME.

Mesmo assim, pode-se usá-lo no KDE. As configurações necessárias estão em www.opensuse.org.

Comentário de spook
O Xgl?: A gente tá falando do Xgl: http://en.wikipedia.org/wiki/Xgl
Comentário de thebluesgnr
As pessoas costumam associar: As pessoas costumam associar o Xgl ao CM mais popular usado com ele, o compiz, até porque o desenvolvimento dele e do Xglx é feito principalmente pela mesma pessoa.

Como o Xglx é um servidor X é óbvio que o KDE é perfeitamente compatível com ele. O compiz também, porque é um gerenciador de janelas que segue as especificações ICCCM and EWMH. Mas como eu disse, os plugins disponíveis hoje para configuração e decoração de janelas se beneficiam da plataforma GNOME.

Comentário de Decao
Continua sendo uma das: Continua sendo uma das distros mais profissionais que existe. Já testei dezenas, mas o Suse sempre ganha no conjunto (estabilidade,beleza,
facilidade...).
Parabéns a equipe Suse,
melhor agora OpenSuse.
BR-Linux.org
Linux® levado a sério desde 1996. Notícias, dicas e tutoriais em bom português sobre Linux e Código Aberto. "A página sobre software livre mais procurada no Brasil", segundo a Revista Isto É.
Expediente
Sobre o BR-Linux
Enviar notícia ou release
Contato, Termos de uso
FAQ, Newsletter, RSS
Banners e selos
Anunciar no BR-Linux
BR-Linux apóia
LinuxSecurity, Tempo Real
Suporte Livre, Drupal
Verdade Absoluta
Pandemonium
Efetividade, Floripa.net
sites da comunidade
Ajuda
Moderação
Flames: não responda!
Publicar seu texto
Computador para Todos
Notícias pré-2004
Tutoriais, HCL pré-2004