Visite também: UnderLinux ·  Dicas-L ·  SoftwareLivre.org ·  [mais] ·  Currículo ·  Efetividade ·  makerNews ·  Arduino

Lançamento da Novatec ensina a combinar ESP8266, Arduino e Raspberry Pi

A Internet das Coisas (IoT), está se tornando realidade. Recém lançado pela Novatec, o livro Internet das Coisas com ESP8266, Arduino e Raspberry Pi apresenta o desenvolvimento de aplicações práticas, especialmente com o módulo ESP8266. Serão mostrados os princípios gerais de comunicação e programação para IoT e o funcionamento básico dos microcontroladores e seus módulos periféricos. Foram incluídos exemplos de implementação de dispositivos IoT para situações cotidianas. Este livro também mostrará como: •programar o ESP8266 em linguagem Lua, no ambiente NodeMCU, ou em C++, com o Arduino e na IDE Eclipse; •fazer a comunicação entre o ESP8266 e módulos sensores e atuadores e a programação do ESP8266 como cliente ou servidor web; •acessar conteúdos web desenvolvidos em PHP e JavaScript e como acessar bancos de dados MySQL; •desenvolver aplicativos em Android Studio para acessar dispositivos IoT; •fazer a comunicação pelo protocolo MQTT para o ESP8266, o Android Studio e o JavaScript; •utilizar Python para fazer a comunicação entre o Raspberry Pi e o ESP8266.

Os módulos de hardware para implementar IoT já estão disponíveis a um custo factível para aplicação. Um microcontrolador, em particular, o ESP8266, virou uma opção extremamente interessante devido a seu custo muito reduzido e aos seus recursos, suficientes para diversas aplicações de IoT. O ESP8266 está disponível em vários módulos, com comunicação WiFi integrada, processador de 32 bits a uma velocidade de 160 MHz, e é vendido a um preço muito baixo nos sites chineses e brasileiros. E mais: é totalmente compatível com o Arduino. Isso significa que tudo que roda no Arduino vai rodar ainda melhor no ESP8266, vai custar menos e consumir menos energia. Sem dúvida, uma opção muito interessante para implementar dispositivos de IoT.

Enviado por Mariana Borges (mborgesΘnovatec·com·br)

Comentar

 
comments powered by Disqus

Comentários arquivados