Visite também: UnderLinux ·  Dicas-L ·  SoftwareLivre.org ·  [mais] ·  Currículo ·  Efetividade ·  makerNews ·  Arduino

Entrevista com Cesar Brod, Diretor do LPI América Latina e Caribe

Esse é o segundo ano consecutivo em que o Tchelinux Lajeado conta com o apoio do Linux Professional Institute (LPI). Dessa vez, .

Cleomar Schmitzhaus, membro da equipe de organização do evento do Tchelinux Lajeado aproveitou para entrevistar o Cesar Brod, Diretor de Desenvolvimento de Comunidades do Linux Professional Institute para a América Latina e Caribe, que reside em Lajeado no Rio Grande do Sul.

Cleomar Schmitzhaus: Cesar, há pouco mais de um ano, quando tu assumiste o LPI no Brasil, tu já concordaste em apoiar o Tchelinux Lajeado. Quais tuas motivações para isso, além do fato de morares em Lajeado?

Cesar Brod: Não posso negar que morar em Lajeado, claro, foi uma grande motivação. Mas além disso, eu acredito que as pessoas começam a operar boas mudanças primeiro individualmente, depois em grupos e, a partir daí, em suas cidades. Vemos, cada vez mais um distanciamento e decepção com nossos (des)governos e isso faz com que as organizações sociais tomem força, se articulem. Ninguém discorda que a tecnologia é parte fundamental das nossas vidas e que será ainda mais. Dos dispositivos móveis já estamos passando para os que vestimos, os "weareables" e não demora muito para sermos verdadeiros ciborgues, com nanorobôs em nossa corrente sanguínea monitorando e tomando ações de manutenção preventiva para a nossa saúde. Toda essa tecnologia deverá seguir padrões abertos e ser de livre acesso a todos. Se há uma nano sonda no meu corpo, um mecanismo que corrija a minha visão sem a necessidade de óculos, ou mesmo um telefone celular implantado em meu ouvido, quero ter a garantia que nenhum dispositivo desses tenha um "backdoor" enviando informações para a agência de segurança americana, por exemplo. Por isso é importante fazer parte de um grupo de pessoas próximas e que conheçam o suficiente de tecnologia para que, juntos, possamos auditar e desenvolver softwares para esses dispositivos que surgirão.

Cleomar Schmitzhaus: E esses softwares irão rodar em Linux?

Cesar Brod: Em Linux e outras formas de softwares livres. Mas o fato é que o Linux já é o padrão de fato para dispositivos móveis, em grande parte graças à popularização do Android (uma distribuição Linux) e ao seu uso em eletrônica embarcada. Muitos dispositivos para a internet das coisas já vem com Linux instalado e interpretadores da linguagem de programação LUA, desenvolvida aqui no Brasil pelo pessoal da PUC do Rio de Janeiro.

Cleomar Schmitzhaus: Em termos de mercado de trabalho, isso significa que irão aumentar as oportunidades para quem conhece software livre?

Cesar Brod: Elas já estão aumentando, mais do que o número de profissionais existentes. Por isso é preciso começar a capacitar mais pessoas e rapidamente. Nos últimos anos o desenvolvimento para dispositivos móveis e computação em nuvem gerou muita demanda por profissionais. Daqui para a frente, o desenvolvimento de aplicações para a internet das coisas, sistemas inteligentes de transporte e o tratamento do absurdo volume de dados gerados por isso tudo fará com que essa demanda aumente ainda mais. Por isso o mote do LPI hoje: "O Futuro está contratando". E voltando à tua primeira pergunta, grupos de usuários como o Tchelinux são extremamente importantes nas suas ações de difusão de informações e sua proximidade com instituições de ensino, incentivando-as a usar softwares livres e capacitar seus alunos nessas plataformas. Por isso também o LPI apoia o Tchelinux Lajeado e espera, na medida em que ganha fôlego, apoiar os eventos e ações do Tchelinux em todo o estado.

Cleomar Schmitzhaus: Este ano o LPI oferece provas de certificação no Tchelinux Lajeado, tu podes falar um pouco mais sobre isso?

Cesar Brod: Em eventos especiais o LPI busca oferecer provas a preços especiais, como forma de apoio ao evento mas também para mostrar que o profissional que é capaz de economizar pouco menos de um real por dia, estará investindo em sua carreira em software livre, uma prova por ano. Assim, por exemplo, quem trabalha com Linux (ou quer trabalhar) em Lajeado e região, sabe que poderá contar com as provas em todas as edições do Tchelinux e se preparar para isso.

A certificação mais básica é a Linux Essentials, composta de uma prova que exige um conhecimento da filosofia do software livre, distribuições Linux e aplicativos principais. O candidato também deve saber usar o terminal para obter informações sobre o sistema, sua conexão com a internet e escrever pequenos scripts em shell. Essa foi uma certificação exigida pela indústria, que deseja contratar profissionais com conhecimentos básicos e permitir que eles cresçam dentro das próprias empresas que os contrataram.

No Tchelinux, antes das provas (que acontecerão no período da tarde) ministrarei, pela manhã, uma revisão rápida do conteúdo da certificação Linux Essentials, aberta a todos os interessados. Para os que não farão a prova dessa vez, essa revisão servirá como uma introdução rápida ao Linux e ao poder da sua linha de comando.

Em seguida, vem as certificações LPIC-1 e LPIC-2, cada uma delas compostas de duas provas. A LPIC-1 é voltada para o administrador de sistemas Linux e a LPIC-2 voltada para o administrador de redes. A LPIC-1 não possue prerrequisitos, mas a LPIC-2, por ser complementar à primeira, exige que o candidato tenha passado nas duas provas da LPIC-1.

Os exames LPIC-3 exigem que o candidato tenha uma certificação LPIC-2 válida. Elas correspondem a especializações e cada uma das provas já dá o "selo" LPIC-3 ao candidato. Elas são as seguintes:

LPIC-3 300: abrange a administração de sistemas Linux em toda a empresa em um ambiente com múltiplos sistemas operacionais que devem interoperar;

LPIC-3 303: abrange a administração de sistemas Linux em toda a empresa, com ênfase na segurança.

O LPIC-3 304: abrange a administração de sistemas Linux em toda a empresa, com ênfase na virtualização e alta disponibilidade.

Em breve estaremos lançando uma nova certificação, a de ferramentas livres para DevOps, o profissional que trabalha tanto com desenvolvimento quanto com a administração de sistemas, o que é o caso bem típico em equipes que trabalham com métodos ágeis de desenvolvimento.

Cleomar Schmitzhaus: Faltou falar o valor das provas…

Cesar Brod: Sim! R$ 200 para a prova Linux Essentials e R$ 350 para todas as demais. O valor deve ser pago em dinheiro ou cheque, no dia da prova, diretamente para o proctor do LPI (que serei eu mesmo). O link do formulário da inscrição será colocado nessa entrevista, certo?

Cleomar Schmitzhaus: Será sim! Já está no começo dela e aqui! Muito obrigado pela entrevista! Te aguardamos no Tchelinux Lajeado!

Cesar Brod: Estarei lá! Estou em viagem por Salgueiro e Petrolina, em Pernambuco, depois vou para Foz do Iguaçu, onde estou trabalhando em um projeto de transformação ágil na Itaipu Binacional. Em seguida parto para Ubatuba, litoral norte de São Paulo, onde participo do piloto do Projeto Cauã e de lá retorno, especialmente para participar do Tchelinux Lajeado!

Enviado por Cleomar Schmitzhaus (cleomar·schmitzhausΘgmail·com)

Comentar

 
comments powered by Disqus

Comentários arquivados